Moda? Longe disso!

quarta-feira, 28 de junho de 2017

 Não virei blogue de moda, prometo, aliás, longe disso! Apenas gostei particularmente destas aquisições mais recentes e achei que tinha mesmo de vos contar tudo sobre elas.
 Continuo sem saber exactamente quais são as roupas que melhor se adaptam ao meu físico, porém, tenho arriscado mais, saído um pouco da minha zona de conforto e, principalmente, tenho apostado mais nas peças que dizia gostar, mas nunca chegavam ao meu armário. A verdade é que ligamos sempre um pouco às aparências e é bom sair de casa a sentir-me bem com o que envergo. Por isso mesmo é que falo um pouquinho mais disto. Foi no fim-de-semana a seguir ao meu aniversário e ainda tinha toda uma luz muito reluzente, por isso, vou deixar um pouquinho desta por cá!

Fiz 20 anos!

segunda-feira, 26 de junho de 2017

 Crescer é inevitável. Não podemos contrariar o passar do tempo e o evoluir das nossas vidas. É muito superior a nós isto de ficarmos mais velhos, mudarmos e estarmos em constante aprendizagem.
 Fiz 20 anos. Não sinto que tenha mudado muito em mim ou na minha vida, porque, não foi o passar dos 19 para os 20 que fez mudanças, mas sim o passar dos 20 anos. Este acumular de dias, momentos e pessoas é que gerou reviravoltas na minha vida.
 De qualquer forma, o dia 11 de Junho foi, sobretudo, um período de reflexão e introspecção profunda. Estive com a minha família e fiz algumas das coisas que mais gosto, como ver o meu Doce Mar e comer um prato saborosamente vegetariano. Porém, olhar para o meu interior e perceber o que retive ao longo da minha vida teve um peso considerável naquele a que chamo o meu dia.

Alimentar uma ideia

terça-feira, 6 de junho de 2017

 Não sei se algum dia o referi aqui, mas, participo sempre nas campanhas do Banco Alimentar, faça chuva, faça sol, tenho maratonas de testes ou maratonas de praia, esteja com dores de corpo ou pronta para 6 horas de desporto. É uma iniciativa que está organizada de forma clara, evidente e reflectida.
 Sempre fiquei no armazém e, normalmente, calhava-me a zona dos leites, onde passamos horas a carregar leites, colocá-los em conjuntos de seis e a levá-los em banda para um outro sector. É um trabalho cansativo fisicamente, porém, muito bom, alguém teria de o fazer! Contudo, na última campanha, dias 27 e 28, uma pessoa muito querida na minha vida estava desesperada à procura de pessoas para os Supermercados, uma vez que as escolas e respectivos miúdos não podiam. Foi assim que me estreei na linha da frente.
Após uma longa tarde de estudo e voluntariado...
 Às 14h30 lá estava eu no Continente, pronta para distribuir sacos, recolher e explicar, a quem não conhecia, em que consiste este voluntariado.
 Devo dizer-vos que não esperava sentir o que o meu coração estava a sentir. Primeiro, levei comigo quatro amigos que sabia encherem aquele espaço de alegria, espírito de equipa e boa vontade. Em segundo, deixei que o meu sorriso se abrisse verdadeiramente, era impossível tal não acontecer dada a grandiosidade do que estávamos ali a fazer. Às 16h20, vieram trocar de camisola connosco e eu só pensava «Quem me dera não ter de estudar, pois, ficava aqui a tarde inteira!»
 Ainda tive oportunidade de explicar a três estrangeiros em que consistia a campanha - sim! em inglês - e, os três, separadamente, disseram-me que iam contribuir e que eu tinha sido super amável e paciente a explicar-lhes tudo direitinho. 
 Perceber que ainda há muita gente disposta a ajudar e a contribuir com o que realmente pode deixou-me o coração bem quentinho. É uma fase difícil para o povo português, sem dúvida, e, mesmo assim, as pessoas pegam nos sacos e põe lá dentro pelo menos um ou dois produtos. É lindo de se ver!
 Cheguei a casa cansada, andei sempre de um lado para o outro. Todavia, também cheguei a casa com uma luz interior que nem cabia em mim. É tão bom ajudar... e custa tão pouco!
 E vocês? Participaram? Vão participar na próxima?

Almost there!!!

quinta-feira, 11 de maio de 2017

 Pessoal, falta exactamente um mês para um dos meus dias favoritos do ano: O MEU ANIVERSÁRIO! Soo mesmo egoísta, eu sei, mas, é tão bom fazer anos e sentirmos que as pessoas tiraram um minutinho do dia delas para nos aconchegar e celebrar junto de nós.
 Ainda por cima é um número redondo, 20 anos! Aproximadamente 7300 dias de mim por aí. Será que já deixei a minha marca nalgum lado? Posso dizer com certeza que já muitos sítios, pessoas e momentos me marcaram. Não sei que importância ou grandeza terão daqui a uns anos, porém, já moldaram quem eu sou e fizeram com que eu chegasse aqui.
 Um mês.... ahhhh mal posso esperar!

Leap!, um filme motivador

terça-feira, 9 de maio de 2017

 Este domingo, vi Leap! enquanto estudava, uma vez que ainda estou desafogada de frequências e avaliações. Um filme que retrata a vida de uma jovem órfã cujo maior desejo é ser bailarina.
 Felicie vive num orfanato misto e sonha diariamente fugir com o seu melhor amigo, Victor, para Paris onde almeja por ingressar na Grand Opera e tornar-se uma das únicas meninas dançarinas.
 Quando, finalmente, Victor arranja um plano suficientemente bom para escaparem daquela casa que limita os sonhos, os dois são convidados a viver aventuras inesperadas e lançam-se num espírito aventureiro e corajoso enorme. Acabam por se separar, mas, ambos conseguem ir safando-se, sem nunca se esquecerem de se reencontrarem e actualizar as aventuras.
 A jovem traquina conhece uma mulher que anda de bengala e limpa a casa de uma senhora muito má, começa a viver com ela, ajudando-a nas limpezas, até que começa mesmo a ser treinada por esta quando rouba a identidade à filha da senhora má para entrar numa classe de bailarinas.
 O que mais me inspira e motiva é a evolução que a miúda fez e a paixão que esta tinha. durante o filme, as pequenas bailarinas são confrontadas com a pergunta «Porque danças?», sendo poucas as que sabem responder, isto intrigou-me mesmo muito!
 Não conseguindo evitar o meu espírito curioso, irrequieto, comecei a pôr a vida atleta de Felicie em paralelo com a minha. Também eu comecei a praticar patinagem artística mais tarde do que o «normal» e todos os dias é um desafio para acompanhar as crianças que não racionalizam e fazem aquilo naturalmente desde pequeninas.
 Com este filme de animação mesmo bonito, reiterei que com trabalho, esforço e dedicação conseguimos mesmo chegar mais longe. Ela não desistiu. E respondeu à pergunta que lhe colocaram sem hesitar e com lágrimas nos olhos e no coração! Não dança apenas porque alguém projectou que isso seria o melhor para ela.
 Eu consigo responder à pergunta «Porque patinas?». E vocês, conseguem, interiormente, saber porque praticam certas actividades?

52 Semanas | 15 e 16: O que há de pior no mundo virtual e Isso para mim não é diversão...

segunda-feira, 8 de maio de 2017

  • Comentários maliciosos, nunca os percebi, se as pessoas vão espalhar más energias, mais vale nem comentarem... será que não percebem que também só lhes faz mal!?;
  • o factor vicioso, o mundo virtual causa uma dependência gigante, como é óbvio, cabe-nos a nós discernir se estamos viciados ou não, porém, é muito complicado contornar um vício;
  • Identidades falsas, é tão fácil criar um perfil, uma história, uma cara, não custa nada e pode ser bem perigoso para quem é ingénuo e acredita em tudo e todos à primeira;
  • Distância, se, por um lado, pode haver quem apenas esteja aqui para nos enganar, por outro, de certeza que há muita boa gente por aqui e, infelizmente, nem sempre podemos conhecê-los ou torná-los ainda mais constantes no nosso dia-a-dia, pois, embora estejamos à distância de um clique, também estamos à distância de alguns quilómetros físicos;
  • Informação que transborda, ter alguma informação é bom, acesso a boa informação é precioso, imensos artigos, histórias, testemunhos, documentários, vídeos, convergentes ou divergentes pode tornar-se problemático - não acreditem em tudo o que lêem.

  • Sair com intenção de ficar completamente K.O., não sei como é que se aproveita bem a noite nestas condições, mas não julgo quem o faz;
  • Passar um serão a comentar a vida dos outros, e acreditem que há muita gente que aprecia e valoriza fazer isto;
  • Wrestling, nunca percebi ou gostei de ver, porém, gosto de boxe, artes marciais e tudo o que esteja relacionado com estes últimos;
  • Quando estou na berma da piscina e me salpicam e são inconvenientes a molhar-me, sempre disse que uma coisa é ser uma vez e com carinho, outra é estarem mesmo a perceber que me estão a incomodar e não pararem;
  • Combates de animais, não sei porque é que as pessoas acham isto divertido ou interessante de alguma forma...

 Ando mesmo super atrasada na publicação desta rubrica. Peço desculpa, por andar atrasada e porque vão levar um dose a quadruplicar!!!

Felicidade também é...

quinta-feira, 4 de maio de 2017

 ... o meu primo convidar-me para escrever nas fitas de finalista dele!
 Para a comunidade Universitária é evidente que completar um curso é uma das maiores realizações académicas. Evidentemente, passar um determinado período a estudar afincadamente, a fazer trabalhos com prazos de entregas apertados, a passar horas enfiados numa sala para realizar um teste, é absolutamente cansativo, porém, chegar ao fim e completar esta etapa é das coisas mais bonitas desta fase.
 O meu primo é das pessoas que mais admiro, a sua inteligência, bondade, honestidade, carinho. Desde novos que ele sempre foi como um irmão mais velho (assim como a irmã dele, uma irmã para mim), crescemos juntos no quintal da minha Vovó e não podia agradecer-lhe mais por ter contribuído tanto para a criança feliz que eu fui.
 Como devem imaginar, assim que o meu primo me pediu que lhe escrevesse uma dedicatória nas fitas, o meu dia melhorou consideravelmente. Assim, vou só ali inspirar-me e dizer-lhe o que ele mais merece ler!!!


 P.S. - Também a Dani me pediu que deixasse a minha marca nas fitas dela e acho que ainda não lhe mostrei o quão agradecida estou!!! Mil beijinhos <3

Aleluia!

sexta-feira, 21 de abril de 2017

 Não deve haver melhor expressão para descrever a sensação que me encheu o coração no sábado de Páscoa. Estive na organização de uma actividade Pascal e, celebrar assim este momento cristão, foi uma experiência fenomenal.
 As pessoas que me acompanharam garantiram que nós conseguíamos tornar os três dias inesquecíveis para todos os participantes, desde actividades interactivas a momentos mais pessoais e íntimos.
 Tivemos, ainda, espaço para voluntariado e, devo admitir, isso contribuiu imenso para um sentimento de plenitude gigante.
 Não me queria alongar muito sobre este assunto, porém, é importante partilhar por aqui um pouquinho da felicidade interior que me tem acompanhado nos últimos tempos. Apercebi-me, também, que é muito importante sentirmo-nos bem, tendo em conta que não devemos descurar o bem-estar do outro e o sorriso do próximo. Aliás, por vezes, ver as pessoas ao nosso redor sorrir, festejar, abraçar, cantarolar pode ser o detalhe positivo do nosso dia.
 Assim, venho apenas deixar-vos esta proposta: além de celebrarem a vossa paz interior, celebrem também o dançar interior e feliz das vossas pessoas e das pessoas que passam no vosso dia!

Amarelinha #4

segunda-feira, 17 de abril de 2017

 Na passada terça-feira, fomos festejar o aniversário da minha querida mãe a Guimarães, tínhamos o tempo todo para nós até às seis e aproveitámos para dar bom uso às nossas pernas e caminhar pelas bonitas ruas desta cidade.
 Como é óbvio, se ainda não tiveram oportunidade de visitar este cantinho cheio de história e encanto, não percam mais tempo e marquem já um dia na vossa agenda.
 Uma vez que vamos lá com alguma regularidade, decidimos visitar a Plataforma das Artes e Criatividade, a Casa da Memória e vaguear pelas ruas antigas.
 Na Plataforma das Artes, um museu gigante, muito simples e fantástico, podemos ver a exposição permanente e ainda algumas temporárias, por exemplo, uma fotográfica temporária: Desinterrância - O lugar do Morto é o lugar da Fotografia, que é bem intensa e reflecte profundamente sobre a morte e a vida, obra de Edgar Martins.
Os Pirómanos
 Também até 4 de Junho, está a decorrer uma exibição d'Os Pirómanos, por Rui Moreira, que envolve desenhos lindíssimos e cheios de detalhes que, creio eu, pretendem transmitir o decorrer do tempo humano e a dedicação meticulosa.
Cosmic, Sonic, Animistic
 Além destas, temos aquela a que chamam permanente, até ao final do ano e a minha favorita: Cosmic, Sonic, Animistic. Desta exposição, agrada-me, principalmente, a parte geométrica, conjuntos de peças colocados com algum rigor que criam variações e formas de uma aleatoriedade quase pensada. Esta é ainda constituída por muita arte Africana e pré-Colombiana, podemos mesmo ver máscaras que fazem ou fizeram parte de rituais religiosos destas regiões e de diferentes locais delas.
Almoço

 A seguir a esta visita, parámos numa das pastelarias mais antigas e conhecidas da cidade para comer qualquer coisa, com uma vista incrível serviram-me uma pescada grelhada que me soube mesmo bem!!! Continuámos a visita com uma caminhada que deve ter durado pelo menos hora e meia.
 Seguimos para a Casa da Memória, instalada numa fábrica antiga completamente renovada, deixando apenas as formas dos telhados e a estrutura principal. Nas duas grandes salas que a constituem temos oportunidade de conhecer com mais pormenor a história de Guimarães e perceber como o tempo se desenvolveu na cidade. Além disso, é foco de workshops e actividades constantes para todo o tipo de idades. Precisamente no dia em que a visitámos, tinha uma oficina de cerâmica a decorrer e uma sessão de cozinha para crianças. Fantástico!

 Não percam a oportunidade de visitar estes sítios se tiverem oportunidade. Gostei mesmo muito e espero voltar rapidamente ao Berço de Portugal para visitar outros espaços.
 Desde já peço verdadeiramente desculpa pela minha distância do blogue. Tenho andado absolutamente concentrada na componente social e quase não tenho tido tempo para as redes sociais. Porém, sinto que vai melhorar daqui em diante!

52 Semanas | 14: Os meus sites favoritos...

domingo, 9 de abril de 2017

Reflexo de um telemóvel!

  • Quora, descobri recentemente e já me tem sido imensamente útil. Um site onde o conhecimento é ilimitado. As pessoas colocam as suas dúvidas, sejam elas matemáticas, referentes a questões ambientais, questões de nutrição, práticas de desporto, etc. Todo o tipo de assunto é debatido neste simples site!;
  • Blogger como não podia deixar de ser: gosto tanto de me perder pela lista de leitura e navegar as vossas palavras. Esta plataforma permite-mo e está nas minhas favoritas por isso;
  • Instagram que deve ser das aplicações/sites mais genial de sempre, tão interactivo, completo e simples. Para mim, a qualidade do Instagram em específico está na simplicidade: não é difícil perceber a aplicação e ser original com ela;
  • Canva, e este foi a Lyne que me apresentou. Que plataforma magnífica e criativa. Se não sabem onde fazer edições interessantes para a apresentação dos vossos blogues ou se não fazem ideia onde fazer cartazes para a actividade que estão a planear, então, corram já para o Canva, porque não há sítio melhor;
  • Prozis - ainda ponderei se devia colocar ou não, mas tem sido a minha aliada em certas aquisições, principalmente a nível alimentar, e não podia deixar de partilhar!

Boas sensações!

 Perdemos muito tempo a atentar as coisas que nos fazem mal, nos deixam em baixo ou nos quebram a boa energia. É mais do que sabido, é puro cliché dizer isto, mas esta forma de encarar o dia é tão errada e negativa que pode mesmo ter imensas mazelas no futuro.
 Há que respirar as coisas boas, sorrir aos momentos felizes, abraçar o amor e a amizade. Aproveitar as pequeninas coisas.
Foto tirada pela minha mana!
 Hoje - sim, Domingo de Ramos -, tive um treino de três horas de patinagem, porque a minha treinadora não podia noutra hora, acabei de chegar a casa e decidi que tinha que vir partilhar convosco a beleza do caminho para casa, a frescura do primeiro respirar depois de descalçar os patins, a cara de cansaço e a cor do esforço! Foi um momento tão belo.
 Aprecio poucas vezes o acabar de um treino, ou porque tenho algo para fazer, ou porque me deixo consumir pelo correr da vida, porém, decidi nesta última meia hora que isso acabou. A partir deste momento, sempre que acabar um treino, vou tirar cinco minutos para apreciar todo o panorama à minha volta... e que lindo panorama!

 Deixo-vos, assim, esta sugestão: apreciem os pequenos segundos que se passam à vossa volta!
 Um abraço bem apertadinho. Agora vou correr e tomar banho! (Esta miúda não pára!)

6/4 #3

quinta-feira, 6 de abril de 2017

 Curioso como, à medida que vou escrevendo estes textos e vou somando mais um, me apercebo que já cá ando há algum tempo. O tempo passa mesmo a correr... é tão cliché dizer isto, mas não existe como o contornar. Só gostava de ter mais segundos para consumir cada bom momento e assimilar cada aprendizagem.


 A minha mãe faz anos! E eu só quero agradecer e pedir perdão.
 Agradecer por todos os abraços, beijinhos, olhares, palavras sábias, raspanetes. Agradecer pela presença e pela educação: embora a minha mãe se sinta culpada de algumas coisas que me aconteceram ao longo da vida, ninguém me teria protegido, ensinado e guiado melhor. Aprecio a paciência e persistência com que não desiste de nós e admiro a vontade com que continua a acompanhar-me em cada mini passo que dou...

52 Semanas | 13: Fico envergonhada quando...

terça-feira, 4 de abril de 2017


  • Tenho de discursar para um conjunto de pessoas, seja este pequeno ou grande, fico sempre toda vermelha e, por vezes, esqueço-me de como se fala;
  • Conheço alguém que admirava por alguma razão, por exemplo, um escritor, um compositor, um professor, mesmo um blogger!!;
  • Caio de forma engraçada num espaço público, rio-me sempre, como mecanismo de defesa, porém, fico extremamente atrapalhada e com vontade de entrar na primeira porta que me aparecer à frente;
  • Faço uma asneira consciente e não peço desculpa logo à partida, porque, uma coisa são aquelas asneiras que nos ultrapassam e das quais tomamos consciência depois, outra são as asneiras que fazemos sabendo cada passo que damos;
  • Chego atrasada a uma aula e fica tudo a olhar para mim enquanto entro, sento, arranjo as coisas e me ponho a par da aula... a sério gente, prestem atenção ao professor!



Desculpem a minha ausência por estas bandas, têm sido uns dias para esquecer... aliás, esta publicação devia ter saído no sábado!!!!

Sebentas, actividades e agradecimentos...

quarta-feira, 29 de março de 2017

 Ponderei muito antes de vir aqui três segundinhos dizer-vos umas palavrinhas...
 Ando absolutamente absorta em testes e estudos. Além disso, tenho afazeres e compromissos para a proposta que aceitei no final de Fevereiro, por isso, o meu tempo está incrivelmente reduzido. Sempre fui uma rapariga de múltiplas actividades e que não se contentava com um horário com muitos espaços em branco, assim, em menos de dois meses preenchi o meu, deixando pouquíssimo tempo livre.

52 Semanas | 12: Coisas para se fazer no frio...

sábado, 25 de março de 2017

Dia de Sol bem gelado! 

  • Ficar enrolada nas mantas e simplesmente aproveitar a companhia dos nossos parentes;
  • Beber chá para aquecer a alma, o estômago e o ar à nossa volta.
  • Estudar, sempre considerei as tardes de frio bem produtivas, pois, na falta de vontade de ir lá para fora passear, fico em casa bem agasalhada a pôr em dia o que não estudei nos dias de calor;
  • Cinema/Teatro/Concertos, sabem mesmo bem nestes dias, porque, por norma, as salas estão beeeeem quentinhas;
  • Comer aqueles estufados das avós, ou aquele hot sushi, ou aquelas papas de aveia, comidas que aqueçam o coração e nos envolvam como um abraço bem apertadinho que nos aconchega todo o corpo gelado!

Aos 3 é de vez #8

quarta-feira, 22 de março de 2017

 Achei interessante dar-vos a conhecer coisas que por muito pequenas me deixam tristita, frustrada ou ligeiramente menos Joana. São coisas muito gerais e não quero parecer lamechas. Sei que o meu blogue tem tido uma onda de positivismo gigante, porém, de certeza que nem a pessoa mais feliz do planeta está feliz vinte e quatro horas por dia. Há momentos dos meus dias nos quais é mesmo complicado vestir um sorriso, embora tente o máximo possível! Três das razões mais simples são:
  • Inexistência de chocolate preto por casa - este é mais para começar o post levemente... sim, deixa-me triste, mas há outras coisas boas nesta casa! Já vos falei dos meus chocolates favoritos e tento ter sempre uma barra em casa;
  • Passar dois dias ou mais sem estar com a minha irmã - infelizmente, os nossos horários ultimamente têm sido muito díspares, quando a vejo é apenas por dois ou três minutos e sinto mesmo a falta dela ao longo do dia, apesar de muitas vezes me tirar do sério... Manas, certo?;
  • Não cumprir as minhas metas, tarefas ou objectivos... fico absolutamente em baixo quando me proponho a resolver algo num período de tempo e não consigo acabá-lo. Pior ainda é quando são coisas de fácil resolução ou simples e eu me deixei levar pela preguiça ou «calma». Sou organizada, mas tenho tido a agenda mesmo muito ocupada e, nos tempos livres, deixo-me levar pelo sono e/ou moleza.
 E a vocês? O que vos deixa chateadas ou com sensação de insatisfação? Partilhem comigo. (Já agora, desculpem a minha ausência, parar em casa tem sido muito complicado!)

52 Semanas | 11: Os meus brinquedos de infância favoritos eram...

sexta-feira, 17 de março de 2017

No quintal da minha avó!

  • Peluche almofada que a minha mãe me comprou numa das viagens dela;
  • LEGOS, ficava até altas horas da manhã a construir torres, casas, animais com a minha mãe, uma vez que era mesmo difícil para adormecer...;
  • Máquina registadora, não sei porquê, sempre tive esse gosto por fazer check em códigos de barra e contar dinheiro;
  • instrumentos musicais, até aos 8 anos, andava sempre com uma malinha com o triângulo, as clavas, a flauta, o reco-reco, por aí em diante;
  • giz enorme e objectos de pintar, uma das minhas maiores obras de arte ficou no chão da garagem do nosso antigo apartamento! Em casa da minha avó tinha aguarelas e resmas de folhas para divagar.
 Assim, de repente, foram as imagens que me vieram à cabeça. Mas os dois primeiros foram os que me marcaram mais e ainda hoje fazem parte da minha vida.

Carinho...

terça-feira, 14 de março de 2017

 Gostar de alguém não significa sufocá-lo com mensagens, perguntas, chamadas. Gostar de alguém não passa por não largar a pessoa ou consumir-lhe o juízo até ela ficar sem paciência. Gostar de alguém, por vezes, é muito mais do que perguntas, palavras ou insistências.
 Não me refiro apenas a relacionamentos amorosos, mas também a amizades e laços familiares. Gostar vai além do estar constantemente a falar com alguém. Muitas das ligações mais fortes que tenho não "exigem" contacto constante, porque, de ambos os lados, sabemos que basta uma mensagem, um telefonema, um olhar para percebermos que ainda estamos lá mutuamente.

52 Semanas | 10: As minhas comidas favoritas são...

sábado, 11 de março de 2017

Amendoins, nhom nhom!
  • Peixe, ia tentar especificar apenas um tipo e só uma forma de cozinhar, mas, quando se trata de peixe, torna-se mesmo difícil para mim ser objectiva;
  • Cogumelo recheado de soja gratinado no forno é dos meus pratos vegetariano favoritos;
  • Frutos secos, seja ao natural, em manteiga 100% natural, seja nos pratos salgados, seja nos poucos pratos doces que como, sabem-me sempre bem e fazem combinações improváveis e irresistíveis;
  • Sumos frescos e naturais, sejam só de frutas ou tenham também legumes, sejam sem adição nenhuma ou com um toque de especiarias... já estou a babar;
  • Massa preta com lulas e camarão da minha mãe, sei bem que é um prato que há em imensos restaurantes, porém, não há nada como a caseirinha da minha mamã!!!

Medo do compromisso

quinta-feira, 9 de março de 2017

 Ultimamente, tenho vindo a reparar que os jovens que se estão a criar têm um medo terrível de se comprometerem com o que quer que seja, quer falemos de trabalho, quer abordemos a religião. Sinto que há uma tendência para se viver fugazmente, tem de ser tudo agora, neste segundo, rápido, desmedidamente.
 Sou muito nervosa, por isso, por um lado, compreendo esta ansiedade de fazer tudo o quanto antes, porém, não consigo deixar de apreciar cada segundo, cada respiração, cada momento, cada pessoa que passa na minha vida, que cruza o meu caminho. Gosto de me comprometer com projectos novos e dedicar-lhes o meu tempo e a minha atenção. Aproveitar cada tarefa, cada palavra sábia dos que já fazem o mesmo que eu há mais tempo; tomar consciência de cada passo que dou, de cada conselho que me foi dado; apreciar todo o sorriso que me é dirigido, interpretar cada lágrima que cai na cara do próximo.

Este é para vocês!

segunda-feira, 6 de março de 2017

 Tem sido incansável o carinho que recebo aqui. Basta irem ao meu mais recente texto e verão amor de variadas formas. É incrível o apoio que me dão e como me ajudam a crescer a cada dia que passa. Ultimamente, não há uma hora do meu dia em que não abra a minha boca num sorriso rasgado de orelha a orelha. Preocupam-se comigo, em ver-me bem... nunca pensei, honestamente, receber esta quantidade gigante de carinho.

 Para dizer a verdade, quando comecei o blogue, andava muito em baixo e com uma auto-estima muito reduzida. Comecei-o mais como uma espécie de bloco onde ia deixando os meus pensamentos bons e maus, porém, com o passar do tempo fui ficando mais confiante e feliz, passando a necessitar de algo mais do blogue.
 Foi assim que comecei a interagir mais, a procurar mais, a querer ler outros blogues sobre os mais variados assuntos. Comecei a conhecer-vos um pouco melhor e a descobrir a quantidade de gente boa que por aqui há.
 Agora, neste exacto momento, dia 6 de Março, conto com um número já considerável de leitores assíduos, de pessoas dedicadas e preocupadas e de algumas amizades intemporais. Não há um dia em que não dê uma escapadela aos vossos blogues e navegue pelas vossas palavras.

52 Semanas | 9: Pessoas que gostaria de conhecer/ter conhecido

sábado, 4 de março de 2017

  • Miró, aproveito a foto da minha visita a Serralves para a sua exposição... Era tão bom poder passar dias inteirinhos a vê-lo magicar, remexer e criar!;
  • Bono dos U2, ou qualquer membro da banda. Sempre me cativaram imenso pela sua originalidade e destemidez, sendo revolucionários a cada música, concerto, acção...;
  • Newton, não fosse eu uma estudante de Matemática e completamente fascinada pelo trabalho deste génio maníaco! Falar com ele devia ser algo extremamente desafiante;
  • Katherine Johnson, desde que vi Hidden Figures que fiquei absolutamente maravilhada com esta mulher. Sinto que tinha muito para aprender com ela;
  • A Bela, sim, a personagem do filme de animação. Ela podia ler para mim!!!!
 Além destas, adorava conhecer alguns de vocês... sinto que têm muito para me ensinar...

Aos 3 é de vez #7

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

 Enquanto corria, observava o movimento dos carros e a forma como contornavam as rotundas, sinalizavam a mudança de sentido, entravam nas garagens e todas essas coisas. Foi então que me apercebi que tinha presenciado mais de 10 buzinadelas (foge, as pessoas desta cidade buzinam muito) e todas derivavam de três acontecimentos principais. Assim, aqui ficam 3 razões pelas quais as pessoas buzinam:

  • está um trânsito de fazer ranger os dentes e estão a ficar impacientes, porque têm de ir pôr a comida a estufar, dar banho aos miúdos, namorar um bocadinho, deitar no chão depois de um dia doloroso, simplesmente procrastinar;
  • iam tendo um acidente e/ou alguém fez algo completamente ridículo e, como bons cidadãos que são, querem deixar um aviso para que os outros não passem fora da passadeira, não façam ultrapassagens tolinhas brutas ou não percam atenção outra vez;
  • avistaram alguém conhecido e querem dizer olá, atenção, maior parte das vezes não conhecem a pessoa e desejam apenas fazê-la perceber que é uma menina bonita ou um rapaz jeitoso.
 Lembram-se de mais circunstâncias em que se buzina? Assim para o engraçadas... apetece-me rir, como sempre. Eu sei, esta publicação foi imensamente aleatória. Não faz mal!

52 Semanas | 8: Os melhores filmes infantis que já assisti foram...

sábado, 25 de fevereiro de 2017

video
Filmei isto para mostrar à Inn a incrível agenda dedicada à Disney!

  • A Bela e o Monstro, identificava-me tanto com a leitora assídua e distraída que a Bela representava. Sempre foi a minha princesa favorita pela sua tamanha simplicidade e bondade!;
  • Spirit, um dos primeiros filmes que me fez chorar e verter baba e ranho... pensar só na possibilidade de me separarem assim da minha família - que dor! -, porém, encontrar a amizade longe de casa, a verdadeira amizade - lindo de se ver;
  • A saga da Idade do Gelo, morro de amores pelo grupo de amigos que figura estes filmes e acompanho as suas aventuras desde que sou uma mini Joana;
  • Os Incríveis, ainda no outro dia falei de super poderes e não podia deixar de referir o filme que vejo e revejo, pois nunca é monótono aos meus olhos;
  • Assim, para finalizar: Mickey Mouse, Smurfs e Ratatouille. O primeiro por razões óbvias, o segundo porque adoro criaturas azuis do tamanho de três maçãs e o terceiro porque sou apaixonada por programas culinários e admiro muito esta abordagem infantil!

Três mulheres, Um filme

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

 Assim que li a review da Carol soube que tinha de ver o filme. Já tinha uma mini ideia sobre o que falava o filme, porém, não sabia que era tão poderoso assim. Retrata uma realidade de 1961 que se verificou durante toda a existência humana antiga e que ainda se pode identificar em certos locais, infelizmente. O racismo, atenuado ou evidente, o racismo sempre, associado à diferença de sexos.
 Três mulheres, Katherine Johnson, Dorothy Vaughan e Mary Jackson, trabalharam arduamente para adquirirem os conhecimentos que tinham, além da inteligência extrema que todas tinham. Inicialmente, fazendo apenas trabalho de computador e verificação de cálculos, acabaram por contribuir de maneira diferentes e de extrema importância para um acontecimento histórico: O lançamento em órbita de John Glenn.
 O que admiro mais nestas mulheres é o facto de nenhuma delas procurar directamente a fama, apenas desejavam poder trabalhar no que gostavam de maneira livre e honesta. Sendo mulheres, e negras, sofreram na pele descriminações absurdas (que cada vez voltam com mais força à actualidade). Entre perder 40 minutos de cada vez que queriam ir à casa de banho, porque tinham uma própria e não ficava situada no seu edifício, a terem de ir a tribunal para poderem tirar um curso de engenharia.
 Vi este filme com uma atenção de falcão, atentei os pormenores e aqueceu-me o coração seguir a evolução de cada uma delas e ansiar para que tivessem imenso sucesso. Um filme que nos prende ao ecrã, uns podem considerá-lo lento, porém, tem a quantidade certa de falas, movimentos, acção, sorrisos e lágrimas.
 Uma reflexão um pouco mais íntima: deixou-me bem confortada saber que há pessoas que lutam por direitos iguais para toda a gente, naquela época havia, há 3 mil anos havia e, nos dias de hoje, continua a haver. Não nos esqueçamos disto: é importante apoiar-mo-nos uns nos outros para que seja mais suportável aguentar o dia-a-dia!
 Ainda não viram? Então não percam tempo a ler-me, corram para o ecrã mais próximo e ponham o filme a dar!!!!

A Tempestade

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017


Eu realmente adoro a natureza: a mão da minha mana e a minha!
 Há duas semanas, mais ou menos, o nosso país foi assaltado por uma tempestade enorme... árvores voaram, tectos caíram, luzes fundiram, inúmeros curtos circuitos foram noticiados. As pessoas andavam aterrorizadas, assustadas e refugiavam-se no conforto das suas casas, junto dos que mais amavam com medo de serem vítimas de algum tipo de acidente. Realmente, esta é a única parte que não gosto nos temporais: os estragos físicos, psicológicos, estéticos, etc. Efectivamente, não é a primeira vez que somos "vítimas" destas má disposições da Natureza e todos sabemos que, posteriormente, são investidos milhares de euros para restituir a ordem e a paz nos estragos feitos, para realojar pessoas que ficaram sem nada, para replantar as árvores que voaram... Nem é pelo dinheiro que se gasta, mas sim pelo facto de ser algo que podia ser desnecessário se a Natureza não se zangasse connosco.

52 Semanas | 7: Eu sempre...

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017


  • Nadei, na verdade, a minha mãe inscreveu-me na natação com apenas 6 meses;
  • Gostei de viver em apartamentos, apesar de gostar de vivendas;
  • Fui fanática por Matemática, não é algo recente de todo;
  • Quis viajar o Mundo e começar essa aventura com a minha irmã;
  • Fui muiiiiiiiito ligada aos meus primos no geral, preocupo-me diariamente com eles.




 By the way, estou a participar neste giveway, pois, como vocês sabem, sou muito dada a alimentação equilibrada. Por isso, fica aqui o link, participem à vontade e sejam felizes com estes productos caso ganhem! #acozinhaverde

Aos 3 é de vez #6

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

 E hoje será sobre séries... admito que seria complicado escolher e apresentar-vos apenas três séries, por isso, não vou dizer-vos quais são as minha favoritas. Assim, hoje trago-vos séries de comédia que têm mesmo de ver e, mesmo assim, foi super difícil escolher apenas três, por isso fiz uma pequena batota...
 Eis as escolhidas para hoje:

  • Friends, mentiria se dissesse que esta não está no topo da lista, consumo-a sempre que não me apetece fazer mais nada. As aventuras em que os seis se envolvem deixam-me simplesmente as lágrimas nos olhos de tanto rir e de tamanha emoção. O Chandler e o Joey são as minhas personagens favoritas e não tenho de dizer mais nada. Adorava ter o estilo da Rachel, alguma da insanidade da Phoebe e a organização da Monica. Quanto ao Ross, quem me dera que fôssemos todos tão românticos quanto ele. Mais nada a dizer sobre esta;
  • HIMYM e Modern Family de anos completamente diferentes, bem sei, porém, considero que o humor de ambos não dá para ser comparado, por isso, falo deles juntos. Conceitos igualmente distintos, mas uma coisa têm em comum: ao longo da série, ficamos sempre admirados com a inovação que conseguem colocar nos episódios. De forma crua e fria, as minhas personagens favoritas são o Marshal e o Phil, respectivamente.
  • New Girl e Two Broke Girls e estas duas fazem-me rir do início ao fim de cada episódio. Completamente absurdas as situações em que as personagens são colocadas, porém, óptimos exercícios para os abdominais. O Winston, da 1ª série, deixa-me absolutamente alegre e a o Earl, da 2ª série, abre-me o sorriso de todas as vezes que faz uma aparição.
 De forma breve, deixo-vos estas pequeninas sugestões esperando que vos animem as tardes ou os serões e que possam partilhar boas gargalhadas com os vossos a assistir a estes programas.
 Deixem sugestões de séries de comédia que achem que valem mesmo muito a pena.

52 Semanas | 6: Os super poderes que eu gostaria de ter se fosse um super herói seriam…

sábado, 11 de fevereiro de 2017


  • VOAR, sempre foi algo que fez parte dos meus sonhos, não para chegar mais rápido a algum lugar ou algo desse género, apenas para passear de um lado para o outro livremente e aproveitar as paisagens de maneira diferente;
  • tornar-me invisível: quantas vezes já vos passou pela cabeça que se tivessem o poder da invisibilidade podiam evitar uma série de momentos constrangedores? Pois, seria excelente;
  • ter memória fotográfica, sou muito boa a memorizar os sítios onde vi as coisas e a lembrar-me de detalhes específicos, mas, ter esta memória mais como a Lexie de Anatomia de Grey era excelente, principalmente para as frequências!!!;
  • cozinhar na perfeição, como a minha mãe e a minha avó, afinal, este é um super poder gigantesco que todas as mães e avós partilham de maneira tão especial;
  • fazer crescer árvores e plantas do nada, apenas com a capacidade da mente, para evitar que a Natureza se degrade.

Festejar

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Calendário Mensal da Ink+volt recomendado pela Mónica
 Entreguei finalmente o trabalho de História e não podia estar mais aliviada. Sei que podia ter dado mil vezes mais de mim, porém, envolvi-me demasiado em leituras e pesquisas e descurei a escrita e a estruturação do trabalho. Bem, ao menos tentei. Só isso vale bastante. Não desisti, apesar da enorme vontade. Obrigada por terem estado desse lado e me terem apoiado nesta fase. Agora vou descansar nos próximo quatro dias - embora já esteja em aulas - para depois começar e arrasar este semestre!

 Por aqui já organizo as coisas para mais um ano em cheio. E vocês?

Diário de Uma Condutora #10

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

 Conduzir deixa-me cheia de adrenalina e com um sentimento de tranquilidade difícil de igualar. Adoro poder pegar na chave do carro da minha mãe e sair, muitas vezes sem saber exactamente o que vou fazer, só mesmo pela felicidade de conduzir, pôr a chave na ignição, ligar o carro, ajustar as mudanças, tirar o pé da embraiagem. Talvez tenha herdado isto da minha mãe, não sei, também adorou sempre conduzir e agarrar o volante. Assim como o meu avô, este também não queria que lhe tirassem a carta de condução, pois apreciava o andar de carro sem preocupações. Eu não descurei o gosto da família... e ainda bem!!!

52 Semanas | 5: Fazem parte da minha wishlist...

sábado, 4 de fevereiro de 2017


  • a longo prazo, um Opel Adam ou um Volkswagen Up!, antes queria um Fiat 500 ou um Mini Cooper, mas, depois percebi que algo mais simples, barato e igualmente confortável me bastava;
  • a curtíssimo prazo, umas calças de ganga brancas ou pretas, o que me der na cabeça quando as estiver a comprar;
  • ir a Budapeste, Hungria. Tenho sonhado quase diariamente com esta viagem;
  • comer sushi (isto é a saudade a falar) ontem, hoje e amanhã;
  • todos os produtos da The Body Shop, se um anjinho caísse na minha conta bancária.

Amarelinha #3

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

 Ando aqui a magicar o próximo destino fora do país da Amarelinha. Adorava do fundo do coração que fosse Budapeste na Hungria... seria, sem sombra de dúvida, um sonho tornado realidade. Se por acaso conseguir ir lá brevemente, o que recomendam? O que devo ver, visitar e sítios que achem que eu gostaria de parar para comer qualquer coisa? Talvez as vossas sugestões me deixem ainda mais ansiosa e preparada para planear tudo direitinho...

 E vocês onde gostavam de ir?

Um concerto, uma sala.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

 Já faz mais de uma semana e não sei como não escrevi sobre isto antes... um concerto que me fez sorrir e cantarolar desde então: You Can't Win Charlie Brown. Uma banda constituída por seis portugueses que vieram no dia 20 de Janeiro apresentar o mais recente álbum Marrow numa das salas mais emblemáticas do país no Theatro Circo.
 Ouvi-os pela primeira vez no NOS Primavera Sound 2014 e prometi a mim mesma que não seria uma experiência única. Desde então que algumas das músicas deles fazem parte da minha lista de favoritas, principalmente a After December. Surgiu a oportunidade e a companhia ideal da minha amiga, de repente, tínhamos bilhetes na mão e estávamos à porta a tentar preparar-nos para ver magia à nossa frente.
 É impressionante como uma boa banda nos pode sempre surpreender. A interacção com o público foi incrível, o sentido de humor no ponto, o companheirismo entre membros da banda muito bonito de se ver e a música boa como sempre.
 A última música foi cantada juntamente com o público e gerou-se um ambiente muito acolhedor, calmo e de cortar a respiração. «All I wanted to give was this lonely sad song». E este verso ecoará na minha cabeça enquanto a minha memória não me falhar.
 Peço-vos um favor: se alguma vez os poderem ver ao vivo, não hesitem, simplesmente vão e aproveitem cada segundo.
 Obrigada 2017 por já me teres trazido um concerto tão único e cheio de sensações.

52 Semanas | 4: As minhas citações favoritas são...

sábado, 28 de janeiro de 2017


  • O sorriso é o silêncio mais bonito que existe. - Snoopy;
  • I'm gonna catch some sunlight and spread it all over the place. - Time for T;
  • Ganhar uma guerra é tão desastroso quanto perdê-la. - Agatha Christie;
  • Os números são a única linguagem universal - Nathanael West (esta tive de ir procurar quem a tinha dito!!!);
  • And if you're still breathing, you're the lucky ones - Daughter

 Sei que já estão 5 mas tinha mesmo de referir esta: «Porque gosto de ti todos os dias» - Mãe.

Universidades e defesas de notas

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

 Na terça dei por mim a ficar com dores de barriga, cabeça e quase a chorar devido à dificuldade que estava a encontrar a fazer um trabalho. Passo a explicar: tive 18 à minha cadeira favorita, História da Matemática, porém, o professor não dá notas acima de 16 sem que defendamos a nota que obtivemos. Nesta cadeira, a defesa de nota consiste na entrega de um trabalho sobre um desenvolvimento na matemática que não tenha sido abordado na aula. Contudo, nem é disto especificamente que venho falar hoje.
 Trabalhei arduamente o semestre inteiro para esta unidade curricular, esfalfei-me para apreender os conceitos e conteúdos dados pelo docente, correspondi às expectativas nas frequências e lutei para ter a nota que tive. E, por trabalhar arduamente, sou admitida a prova complementar: que bom! (notem o tom irónico da exclamação).

Nhami, Alfacinha!

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

 Para quem me conhece não é novidade que adoro cozinha vegetariana e explorar todo esse mundo. Gosto mesmo de ir para a cozinha e experimentar ingredientes novos, alimentos diferentes, temperos arriscados, com o coração e a imaginação a palpitar. Porém, não o sou, nem tenciono sê-lo, uma vez que aprecio imenso peixe e não penso que fosse capaz de parar de o comer.
 Mesmo assim não perco uma oportunidade, nem recuso um convite para ir almoçar ou jantar a um restaurante vegetariano, seja este uma novidade ou um sítio frequente. Na passada quarta-feira, surgiu a oportunidade de ir experimentar um sítio novo super bem acompanhada. Nas duas grandes cidades há imensa oferta de menus biológicos, saudáveis, bonitos e deliciosos, por isso, fico mesmo contente quando, por cá, descubro sítios alternativos aos que visito regularmente.

52 Semanas | 3: Coisas para se fazer no Calor

sábado, 21 de janeiro de 2017


  • PRAIA, nem devia precisar de dizer muito sobre isto, uma vez que areia e mar são só duas das coisas que me fazem melhor.
  • Colher Vitamina D, sair de casa, caminhar um pouco, correr, fazer abdominais ou agachamentos ao ar livre, simplesmente estar lá fora.
  • Beber um sumo natural com amigos num café.
  • Molhar a cara a cada 5 minutos se estiver absurdamente quente.
  • Dormir apenas de roupa interior, só com top de alças e mini calções ou mesmo sem nada!! (Claramente estes dois últimos eram mais brincadeira.)

Inspira, expira.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

 Ando carregada de um positivismo que tem sido difícil conter dentro de mim. As pessoas vêem-me por aí aos saltos («Joana, vi-te a saltitar na ciclovia, devias estar muito feliz!»); perguntam-me, porque estou sempre a sorrir; assumem que todos os testes me correm bem, porque saio animada da sala; pedem-me conselhos sobre as coisas mais aleatórias de sempre, porque sem dúvida que eu sei a resposta. A verdade é que realmente ando com o coração cheio. Os meus dias têm sido carregados de imprevistos e coisas combinadas, agenda sempre cheia, momentos bonitos, conversas longas e educativas, sorrisos sinceros e gargalhadas intensas, chás bem quentes para a alma, refeições reconfortantes, as aleatoriedades da minha irmã.

Reflexão: Remember Me

domingo, 15 de janeiro de 2017

 Este é principalmente para os que já viram o filme, talvez fale do final e, se ainda não viram, convém que não leiam, para que o factor UAU esteja presente quando tiverem oportunidade de ver.

52 Semanas | 2: Eu nunca...

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

  • Fiz uma directa. Aliás, só de pensar no conceito, o meu corpo fica cansado.
  • Bebi cappuccino, caffé mocha e todos os semelhantes... na verdade, já ter bebido meias de leite é algo extraordinário. Estas bebidas não me atraem.
  • Vi os U2 ao vivo apesar de já ter tido bilhetes de um concerto deles na mão.
  • Assisti a um debate de políticos até ao fim. Não me orgulho 100% disto, mas, ou adormecia profundamente, ou ficava irritada por andarem sempre à volta do mesmo.
  • Comi hamburgueres do McDonalds, além do McChicken, e não tenho qualquer curiosidade para experimentar!
 Se estão a fazer também, por favor, deixem os links para eu dar uma espreitadela.

Aos 3 é de vez #5

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

 Estamos de volta a esta rubrica depois de inúmeras publicações pessoais. E este será sobre 3 contas do Snapchat. Aquelas das quais não perco um snap, uma foto, um momento, sem ser claro das pessoas do meu dia-a-dia.
 Devo dizer-vos que foi mais difícil seleccionar 3 do que esperava. Talvez por seguir tanta gente e realmente gostar de ouvir o que têm para nos ensinar e dizer. Sempre apreciei aprender também com as vivências dos outros. Assim, aqui fica o meu top 3 (cliquem nos nomes para verem o snapcode de cada conta):

52 Semanas | 1:Coisas que me fazem ficar feliz

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

  1. Acordar com a luz matinal a entrar pelos buraquinhos das persianas e a preencher o quarto com uma energia vibrante.
  2. Ouvir a minha mana a sorrir.
  3. Patinar, correr, exercitar apenas.
  4. Chá de todos os sabores, mas principalmente os da marca yogi tea.
  5. O mar, as ondas, a areia, as gaivotas, a brisa, os guarda-sóis, as toalhas, as raquetes, os biquínis giros e floridos: a Praia.

Andamos assim tão distraídos?

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

 Quando é que deixamos de prestar atenção às pessoas? Às suas expressões? À sua forma de ser?
 Andamos tão concentrados no nosso dia-a-dia, nas nossas tarefas, no nosso bem-estar que nos esquecemos de olhar para o nosso colega e garantir que ele está bem ou que está melhor desde a última vez que o vimos.

Bem-vindo 2017!

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

 É com um sorriso enorme que escrevo este post. Não dou muito valor à mudança do ano, mas adoro celebrá-la com a minha mãe e a minha irmã e sentir que entrámos em condições no ano acabadinho de sair do forno.
 Na verdade, uma das coisas que me faz dar mais atenção a esta mudança são as inúmeras publicações que vocês fazem e as retrospectivas que tanto escrevem, adoro ler cada palavra vossa, ver todas as fotografias que tiraram e ouvir as vossas músicas favoritas. Deixa-me tão feliz, chegar à blogosfera e ver mais um texto sobre o que o ano que passou vos trouxe, ensinou e ofereceu.
 Para este ano tenho uma série de desejos, mas, principalmente, que não haja tantos atentados, nem tantas mortes. Algo que me deixaria mesmo muito contente e satisfeita era o caminhar a passos largos para uma paz sincera e quase plena. 2016 foi muito intenso neste sentido. Por isso, peço apenas que 2017 seja mais benevolente neste sentido.