Moda? Longe disso!

quarta-feira, 28 de junho de 2017

 Não virei blogue de moda, prometo, aliás, longe disso! Apenas gostei particularmente destas aquisições mais recentes e achei que tinha mesmo de vos contar tudo sobre elas.
 Continuo sem saber exactamente quais são as roupas que melhor se adaptam ao meu físico, porém, tenho arriscado mais, saído um pouco da minha zona de conforto e, principalmente, tenho apostado mais nas peças que dizia gostar, mas nunca chegavam ao meu armário. A verdade é que ligamos sempre um pouco às aparências e é bom sair de casa a sentir-me bem com o que envergo. Por isso mesmo é que falo um pouquinho mais disto. Foi no fim-de-semana a seguir ao meu aniversário e ainda tinha toda uma luz muito reluzente, por isso, vou deixar um pouquinho desta por cá!

Fiz 20 anos!

segunda-feira, 26 de junho de 2017

 Crescer é inevitável. Não podemos contrariar o passar do tempo e o evoluir das nossas vidas. É muito superior a nós isto de ficarmos mais velhos, mudarmos e estarmos em constante aprendizagem.
 Fiz 20 anos. Não sinto que tenha mudado muito em mim ou na minha vida, porque, não foi o passar dos 19 para os 20 que fez mudanças, mas sim o passar dos 20 anos. Este acumular de dias, momentos e pessoas é que gerou reviravoltas na minha vida.
 De qualquer forma, o dia 11 de Junho foi, sobretudo, um período de reflexão e introspecção profunda. Estive com a minha família e fiz algumas das coisas que mais gosto, como ver o meu Doce Mar e comer um prato saborosamente vegetariano. Porém, olhar para o meu interior e perceber o que retive ao longo da minha vida teve um peso considerável naquele a que chamo o meu dia.

Alimentar uma ideia

terça-feira, 6 de junho de 2017

 Não sei se algum dia o referi aqui, mas, participo sempre nas campanhas do Banco Alimentar, faça chuva, faça sol, tenho maratonas de testes ou maratonas de praia, esteja com dores de corpo ou pronta para 6 horas de desporto. É uma iniciativa que está organizada de forma clara, evidente e reflectida.
 Sempre fiquei no armazém e, normalmente, calhava-me a zona dos leites, onde passamos horas a carregar leites, colocá-los em conjuntos de seis e a levá-los em banda para um outro sector. É um trabalho cansativo fisicamente, porém, muito bom, alguém teria de o fazer! Contudo, na última campanha, dias 27 e 28, uma pessoa muito querida na minha vida estava desesperada à procura de pessoas para os Supermercados, uma vez que as escolas e respectivos miúdos não podiam. Foi assim que me estreei na linha da frente.
Após uma longa tarde de estudo e voluntariado...
 Às 14h30 lá estava eu no Continente, pronta para distribuir sacos, recolher e explicar, a quem não conhecia, em que consiste este voluntariado.
 Devo dizer-vos que não esperava sentir o que o meu coração estava a sentir. Primeiro, levei comigo quatro amigos que sabia encherem aquele espaço de alegria, espírito de equipa e boa vontade. Em segundo, deixei que o meu sorriso se abrisse verdadeiramente, era impossível tal não acontecer dada a grandiosidade do que estávamos ali a fazer. Às 16h20, vieram trocar de camisola connosco e eu só pensava «Quem me dera não ter de estudar, pois, ficava aqui a tarde inteira!»
 Ainda tive oportunidade de explicar a três estrangeiros em que consistia a campanha - sim! em inglês - e, os três, separadamente, disseram-me que iam contribuir e que eu tinha sido super amável e paciente a explicar-lhes tudo direitinho. 
 Perceber que ainda há muita gente disposta a ajudar e a contribuir com o que realmente pode deixou-me o coração bem quentinho. É uma fase difícil para o povo português, sem dúvida, e, mesmo assim, as pessoas pegam nos sacos e põe lá dentro pelo menos um ou dois produtos. É lindo de se ver!
 Cheguei a casa cansada, andei sempre de um lado para o outro. Todavia, também cheguei a casa com uma luz interior que nem cabia em mim. É tão bom ajudar... e custa tão pouco!
 E vocês? Participaram? Vão participar na próxima?